• Levi Soares

10 coisas que você não sabia sobre a depressão

Atualizado: 10 de Dez de 2019



A depressão é um transtorno mental de grande incidência, em média 4,4% da população geral segundo a OMS. O quadro depressivo muitas vezes é confundido com outras doenças e até mesmo com situações “normais” da vida. Além disto, a depressão é algo bastante presente no imaginário popular, principalmente em filmes e livros; o que algumas vezes pode gerar mitos acerca deste quadro. Por isto, elaboramos esta lista de 10 coisas que você não sabia sobre depressão:


  1. A depressão é mais comum em jovens do que em idosos. As chances de uma pessoa desenvolver um transtorno depressivo é 3 vezes maior em pessoas com entre 18 a 29 anos do que em pessoas acima dos 60 anos. A incidência da depressão não é uniforme entre os gêneros. Mulheres tem até 3 vezes mais chances de desenvolver depressão ao longo de suas vidas, a contar do período da adolescência.

  2. É muito comum que pacientes depressivos vivenciem sintomas de ansiedade. Aproximadamente 85% das pessoas diagnosticadas com depressão manifestam sintomas ansiosos significativos.

  3. Embora o senso comum associe bastante o suicídio a depressão, nem todas as pessoas diagnosticadas com este transtorno mental manifestam pensamentos de morte ou ideação suicida.

  4. A depressão é um transtorno mental que se confunde com diversos outros problemas de saúde. Muitas vezes sintomas como perda de peso, falta de vontade para realizar as atividades diárias, fadiga, irritabilidade, insônia se confundem com outras doenças, como hipertireoidismo, diabetes, ou mesmo gravidez.

  5. Um processo de luto também pode ser confundido uma depressão. São comuns no luto devido a profundidade do vínculo afetivo com o falecido sentimentos de tristeza, perda de peso, desencanto com a vida e até mesmo uma perda de vontade de trabalhar ou de executar as atividades diárias. Neste caso, o principal critério diagnóstico é a duração, já que o período de luto pode variar de 3 meses a 2 anos.

  6. A depressão é um dos transtornos mentais mais associados a diagnóstico de doenças incuráveis. Não é incomum que pessoas recentemente diagnosticadas com câncer, por exemplo, desenvolvam um quadro depressivo.

  7. A depressão também é uma comorbidade comum em dependentes químicos. Pessoas com quadros de alcoolismo ou usuários de substâncias ilícitas, como cocaína, podem desenvolver um quadro depressivo. Estes casos costumam ser complexo e exigir maior atenção de profissionais, pois a utilização de substâncias psicoativas em grandes quantidades pode interferir nos efeitos das medicações antidepressivas.

  8. As principais formas de tratamento para pessoas com depressão é a intervenção medicamentosa, manejada por um MÉDICO PSIQUIATRA e a Psicoterapia, realizada por Psicólogos. Contudo, outras condutas terapêuticas podem ajudar no tratamento através da promoção à saúde, como por exemplo a massoterapia e a acupuntura.

  9. Pessoas com transtornos depressivos podem, em ocasiões não tão comuns, apresentar quadros alucinatórios ou de delírio. Estes sintomas, contudo, costumam ser transitórios e um diagnóstico preciso deve ser feito por um profissional especializado.

  10. Nem toda tristeza significa depressão. Muitas vezes, as situações da vida podem nos abater de forma violenta. Isto nem sempre significa que a pessoa está com depressão. Afinal, estas coisas fazem parte da nossa existência como seres humanos. Contudo, se você tem alguma dúvida, não hesite em procurar um profissional.

Se você acredita que apresenta os sintomas da depressão venha bater um papo com a gente. Se realmente for o caso nós entenderemos o seu momento e iniciaremos o processo terapêutico. Depressão é uma doença que tem cura.

Fale com a gente! Temos também um questionário que te ajudar a identificar o risco de você estar sofrendo de depressão.

0 visualização

Atenção: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento

imediato para pessoas em crise suicida.
Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br.

Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.

Copyright © 2019 Sentidos Psicologia - Todos os direitos reservados.